sábado, 20 de setembro de 2008

O deslizar

Já passava das onze da noite, li, peguei no sono.
Quando entrava em um daqueles estágios mais profundos (não sei qual...) ouvi um zumzumzuuuuuuumzum. Vi que o barulho vinha da rua. Mau humor. Levantei brava, com raiva de o sono ter sido me arrancado.
Abri a janela com força, cheia de vontade.
Vi o zumzuuumzummmm. Ou algo assim. Não era abelha, claro. Era um garoto.
A cena foi uma das mais lindas que vi na cidade. O silêncio da noite foi interrompido pelo deslizar deste desconhecido pelas curvas da ladeira em que moro.
Zuuuuum zaaaaaaam.
Derrapava e parava.
Com vontade, estava sempre pronto para recomeçar. Pegava o skate nas mãos, subia rumo a mais uma descida solitária. Só dele.
De novo zummmm zaaaaaaaam, derrapava.
Ele não parava de tentar.
Mas não eram tentativas.
O caminho era a diversão, o prazer.
Ele me tirou o sono e me deu a noite. Noite que se misturava à cor da rua.
E deu beleza ao asfalto.

5 comentários:

SADY FOLCH DE CARDONA disse...

Ebaa !! É a volta da escritora aos registros que lhe trazem a rua. Só haveremos de ler ótimas produções como esta.
Abraços
Sady

Eduardo disse...

zummmm;zummmm; zummmmmmmmm
Esa noie assisti o DVD POR AMOR.
Campeão jogdor de beisebol ao ser xingado pea orcida contrária ordenava si mesmo: desliga a máquina e ficava surdo às ofensas e palavarões dos adversários, assim podia fazer os arremessos sem problemas.
Faça assim também, ao se deitar para dormir "desligue a máquina", embora o zummmm poss render um bom texto.

Petê disse...

Voltaste, minha linda? E com a corda toda, pelo visto.

Beijos e até a noite.

Laura Fuentes disse...

Que lindo isso..."ele me tirou o sono e me deu a noite" . Bom ter você de volta e esse seu olhar sensível e delicado. Beijão

Olga Vallejo disse...

Gostei muito: você fez de algo corriqueiro (o barulho que perturba o sono de quem vive nas insones cidades grandes) tema de um texto gostoso, leve e bastante poético. Só mesmo os olhos de quem "tece" as palavras conseguem ver beleza com simplicidade e doçura. Talvez eu até encare o menino que passa frente a minha janela tarde da madrugada chutando latinha em dia de jogo do Corinthians com olhos mais poéticos! Ah, e concordo com a Laura Fuentes: que linda colocação em "Ele me tirou o sono e me deu a noite".