quinta-feira, 30 de abril de 2009

O amor gargalha


Quem troca olhar ganha sempre.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Os chavões que nos fazem bem

Marina é uma futura psicóloga que embeleza minha família com o que tem por fora e com o que tem por dentro. É uma graça. Quando ela nasceu do amor da minha irmã pelo meu cunhado eu tinha 9 anos de idade. Aos 26, ela vive me ensinando coisas, é uma delícia.
Esses dias estávamos conversando sobre a importância do chavão que tanto falamos e pouco fazemos: quebrar o ciclo. Sabe, quando você vê uma onda negativa se formando e você, ao invés de soprá-la para longe, acaba se envolvendo nela, tropeça, fica de cabeça para baixo até que, só quando está bem tonta, põe novamente os pés no chão, para e pensa: que é que eu estou fazendo?

Acabei de viver isso agora como agente e como paciente.
E, mais uma vez, deixei o ciclo deprê ou negativo ser quebrado por um sorriso.
Sorrisos são ótimos nisso.

domingo, 26 de abril de 2009

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Um mundo pela câmera

Hoje posso ver um mundo todo pela câmera de segurança. Mesmo ela se limitando a poucos metros. Mas posso ver.
O vaivém de gente é quase um assombro. Não pela quantidade, mas pela diversidade.
Vão e voltam. Senhores, moços, velhas. Crianças, cachorros e seus donos. O portão é fechado mas a olhadela escapa: 'quem sabe posso ver algo?' pensam inconscientemente.
Fico ávida por imaginar suas histórias. Quem deles é casado, conhece Paris, experimentou saltar de paraquedas, perdeu um ente muito querido? Qual deles é advogado, tem 10 anos, adora passear no parque, acorda cedo para comprar pão quentinho na padaria?

Qual deles carrega um grande arrependimento? Qual deles já evitou uma tragédia e salvou a vida de outro? Será que heróis, vilões, mocinhos, sobreviventes, poetas, artistas, burocráticos, amantes, grandes amigos, mães, pais habitam segundos desta câmera?

quinta-feira, 23 de abril de 2009

O amor olha


Minha família é como as outras...
Olham
Riem
Discutem
Voltam
Abraçam-se
Despedem-se
Beijam
Seguem
Sentem
Amam

foto Ricardo Fiorotto

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Por que não escrevo tanto?

Hoje levei uma bronca de uma amiga. Diz que adora o Vivo, mas eu tenho postado pouco.
Levo broncas e broncas. E eu não sei o porquê.
Vejo histórias tantas, todos os dias, nas ruas. Há tanto o que escrever. Mas as palavras não saem assim tão facilmente de mim. Fico com elas entaladas. Para mim, escrever é quase um grito. Um alívio.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

O amor


Amor é quando se dá conta de que estar ao lado dele é um privilégio.

Elliot Erwitt que fotografou...