quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Meu primeiro Mia Couto...

"o sonho é o olho da vida".

Esta é apenas uma das frases que provocam vai-e-volta em Terra Sonâmbula.

Mia parece mesmo deslizar como um gato pelas palavras, brincando como se fosse dono de todas elas. As histórias se entrelaçam, se soltam, se amarram de novo e voltam correndo, independentes. Você tem a sensação de muito, a leveza do pouco.

Sem dúvida um tempo a ser valorizado, a cada virar de página.

Não, isso não é uma resenha.
É um desabafo. E dos melhores.

3 comentários:

MALU, SIMPLES ASSIM disse...

Ele é o próximo da minha lista de autores lusos! Assim, em breve, poderemos trocar figurinhas. Esse post me deixou mais curiosa ainda!
Bjs.

Petê disse...

Eu conheço quase nada dos autores portugueses, a não ser o Sará e um conto do Mia. Queria ler algo do Lobo Antunes... mas agora estou numa fase Colômbia, com Fernando Vallejo.

Beijos e até mais tarde...

Nanete Neves disse...

Tem razão,Cris, esse moço mia com as palavras, parece que brinca com elas, nos chama prá curtir junto, e não há como resistir a esse convite. Ando encantada pelos portugueses...sobretudo as portuguesas.