terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Os minutos atrás de mim

Final de ano, correria, falta de tempo e aquela angústia chamada "não-vai-dar-tempo" pega a todos.
Olho para trás e sempre dou de cara com eles: os minutos atrás de mim. Eles passaram, oras.
O dia 31 de dezembro aproxima cheio de promessas. Primeiro, um dia de expectativas, mas sem tanta correria com uma véspera de Natal. Não há os presentes. Depois, a véspera para o ano-novo (nunca sem se com ou sem hífen...) sugere algo leve, festivo, liberto. Entristeci-me ontem, com uma reportagem no caderno para adolescentes da Folha de S.Paulo. Era um grupo de meninos e meninas que odiavam as festas da passagem do ano, a maioria atribuindo a noite a uma série de encontros sem sentido e sentimentos de falsidade. Triste pelos sentimentos. E triste porque pensei: "nossa, se são tão amargos assim, como não notam que estas situações podemos ter todos os dias??"
Ainda não é véspera, mas eu já acalmo meu coração. Rumo a um 2009 verdadeiro. Seja nos sorrisos ou nas lágrimas motivadas pela prosa ou pela poesia.
Não importa. Quero é viver.

6 comentários:

MALU, SIMPLES ASSIM disse...

Vida longa a Cristiane Rogerio! Feliz 2009!
Beijos.

JOICE WORM disse...

Feliz 2009. Que verás que logo nos primeiros dias o descanso será providencial e as conincidências necessárias. Bem haja!
(Visitando pela primeira vez...)

Gaby Almeida disse...

Eu ja pensei exatamente dessa forma, não gostava de certas comemorações pois sempre achei falsas, hj vejo que vai da maneira como olhamos e como agimos, falsidade vai haver sempre, em qualquer ocasião, cabe a nós saber separar... um 2009 de verdades p vc...

gostei bastante do seu blog...

Anônimo disse...

é isso aí,vamos viver de verdade,e com verdades.Doa a quem doer.
Feliz 2009!
E muitos textos pra gente lÊ
te amo,bjs
DENISE "BEIJO,ME LIGA"

_Maga disse...

Também vivo de coincidências. Adorei teus textos!

Um grande abraço

Laura Fuentes disse...

Que bom que em meio à correria você conseguiu acalmar o coração. E que ele seja sempre tocado pelas emoções, do próprio viver como também das letras. Continue sempre nos fazendo bem com seus escritos, Cris.